Mostrando postagens com marcador Cartilhas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cartilhas. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Conheça a Auto regulamentação para pática de e-mail marketing




Qualquer empresa brasileira que pratica ou pretende praticar ações de e-mail marketing deveria saber mais sobre este assunto.

Diversas empresas ainda enviam e-mails simultaneamente para diversos destinatários através de programas de e-mail como o Outlook. Esta prática não é permitida pelos provedores, pois caracteriza spam e gera notificações e possíveis bloqueios de recebimento de qualquer outra mensagem enviada através do seu domínio. Ou seja, mesmo que a mensagem seja enviada, as pessoas não a receberão.

Seguindo as orientações do Código de Autorregulamentação para a Prática de E-mail Marketing você evita o problema de não conseguir enviar e-mails para as pessoas, já que você poderia entrar na "lista negra" dos servidores, que passam a excluir automaticamente as mensagens, ou as colocam na caixa de Spam (mensagens indesejadas).

 
Entenda o código de autorregulamentação em 10 passos
As entidades signatárias recomendam a leitura na íntegra do Código de Autorregulamentação para a Prática de E-mail Marketing. Mas, para facilitar o entendimento ajudar a adequação das empresas às normas previstas no Código, segue abaixo uma lista dos principais itens comentados:

1 – Para quem posso enviar e-mail marketing?
O Código estabelece que as bases devem ser opt-in ou soft opt-in. Ou seja, os destinatários devem ter solicitado o recebimento das mensagens enviadas (opt in). Ou, o remetente deve ter uma relação comercial ou social prévia e comprovável com o destinatário (soft opt-in)
Se a sua empresa vem realizando ações de e-mail marketing para uma base de destinatários que não se enquadra nas situações acima é preciso adequar-se. Uma sugestão é realizar uma campanha para que seus destinatários confirmem a intenção de continuar recebendo seus e-mails. Ou seja, transformá-los em opt in. E isso deve ser feito o quanto antes, pois o código entrará em vigor em poucos dias.

2 – Posso realizar um primeiro envio para obter a permissão do destinatário para envios posteriores?
Não. Uma vez que o código esteja oficialmente publicado, não serão permitidas ações para bases que não sejam opt-in ou soft opt-in.

3 – Política de opt-out e prazo para descadastro
Opt-out é o mesmo que descadastro. E o Remetente deverá disponibilizar ao Destinatário a sua política de Opt-out e informar o prazo de remoção do seu endereço eletrônico da base de destinatários, que não poderá ser superior a 2 (dois) dias úteis, quando solicitado diretamente pelo link de descadastramento do E-mail Marketing e 5 (cinco) dias úteis quando solicitado por outros meios, prazos estes contados a partir da data da solicitação comprovada.

4 – Como é feito o opt-out/descadastro?
Uma das grandes inovações do código é estabelecer que as mensagens de e-mail marketing tragam, obrigatoriamente, um link para opt-out automático e uma segunda alternativa que não seja um link clicável. Muitas pessoas têm receio de clicar em links de e-mail, por questões de segurança. Logo, a alternativa não clicável pode ser um telefone, fax, endereço informado de e-mail ou site (sem link clicável, apenas o texto informativo), sms, carta ou qualquer outro meio amplamente disseminado.

5 – E-mails de cobrança, suporte e afins não precisam conter recurso de opt-out na mensagem?
Quando houver contrato entre o Remetente e o Destinatário, as mensagens enviadas exclusivamente com finalidade de assegurar a execução contratual e pós-contratual referentes àquele contrato (ex.:boleto bancário, avisos e extratos) estão dispensadas de conter o recurso de opt-out.

6 – O endereço de e-mail do meu remetente é do meu provedor.
O Código é claro: “o Remetente somente poderá enviar mensagens de E-mail Marketing por endereço eletrônico vinculado ao seu Nome de Domínio Próprio, por exemplo, remetente@exemplo.com.br. É vedada a utilização de Domínio de terceiro não pertencente ao mesmo grupo econômico do Remetente ou a Parceiros.”
Ou seja, se você ainda não possui um domínio próprio, seja de pessoa física (ex. domínio.nom.br) ou jurídica, é preciso providenciar. É importante destacar que você pode ter um domínio e utilizá-lo no e-mail de remetente sem, obrigatoriamente, possuir um site.

7 – Envio de anexos
O envio de anexos, muitas vezes utilizado por instituições financeiras, pode ser realizado desde que exista uma autorização prévia e comprovável do destinatário. Certificação e assinatura digitais são permitidas e não ficam sujeitas a regra dos anexos.

8 – Política de privacidade e de uso de dados
É imprescindível divulgar no site da sua empresa a “Política de Privacidade e de uso de Dados” adotada com seus clientes e usuários. Isso é importante para que os destinatários da mensagem saibam como e em que situações a empresa utilizará suas informações pessoais ou corporativas.

9 – Posso comprar base de e-mails?
Não. O envio só pode ser feito para bases opt-in ou soft opt-in. Porém, é permitido que uma empresa realize uma ação para algum parceiro comercial enviando e-mail para sua própria base de destinatário, desde que observadas as seguintes condições:
9.1. A base deve ter opt-in expresso e comprovável que autorize o envio de e-mails de conteúdo de terceiros;
9.2. O e-mail de remetente deverá ser aquele por meio do qual a pessoa física ou jurídica que detêm o relacionamento com a Base de Destinatários pode ser contatada pelo Destinatário;
9.3. Além dos recursos de opt-out padrão, a mensagem deverá conter mais duas opções de descadastro: uma para descadastro de mensagens daquele parceiro comercial do remetente. E outra para mensagens de todo e qualquer parceiro comercial do remetente;
9.4. O endereço de remetente deve ser válido e utilizar nome de domínio próprio do responsável pela base de destinatários.

10 – Configurações técnicas previstas no código
Entre as várias disposições técnicas previstas no código, destacamos a configuração de SPF (Sender Policy Framework). Em resumo, trata-se de uma configuração no servidor de domínio que informa quais IPs estão aptos a enviar e-mail em nome desse domínio.
Esta situação ocorre diariamente quando um cliente envie sua campanha de e-mail marketing pelo pela ferramenta de envio, pois utiliza um remetente com seu domínio próprio (por exemplo, newsletter@empresa.com.br) em uma estrutura de terceiros. Será necessário configurar o SPF do domínio, informando os IPs dos servidores utilizados pela ferramenta. Entre em contato com seu gerente de contas ou com o suporte técnico para obter essas informações.

Baixe em pdf o código na íntegra

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Perfil ou Fanpage? Qual usar para um negócio?


Perfil de Facebook foi criado especificamente para pessoas físicas e através dele elas podem criar e gerir a sua rede de amigos. Cada utilizador deverá ter apenas um perfil. Por exemplo, não é permitido ter o perfil “Virgínia Coutinho” para interagir com os meus amigos e um outro “Virgínia Coutinho Profissional” para interagir com profissionais da área.

Segundo os Termos e Condições do Facebook, as empresas e marcas que querem estar presentes na plataforma devem criar uma página, regra que nem sempre é seguida. Uma pesquisa rápida no Facebook permite-nos confirmar que existem muitas empresas com perfis em vez de páginas.

Portanto o Facebook pode excluir e ou bloquear seu perfil que não segue as regras, ou seja, o perfil da empresa criado sem permissão. Pois as regras do Facebook são claras. Perfil é somente para pessoas físicas.

Sem contar que: Qual credibilidade tem uma empresa que não respeita regras?

Agora os motivos e vantagens de criar uma Fanpage e não um perfil para seu negócio, empresa e ou marca.



Número de fãs na fan page

O número de contatos/fãs que a sua marca pode possuir numa fan page é ilimitado. Já num perfil, o máximo de amigos é de até 5.000

Níveis de administração de página no Facebook
Uma atualização recente do Facebook permite que várias pessoas atualizem a mesma página, diferentemente do perfil.

Facebook e as abas especiais

Uma grande deficiência dos perfis é não oferecer a opção para adicionar as abas (landing page). Como estes, é possível fazer muita coisa bonita e interessante.
As grandes marcas se utilizam de abas para dar boas-vindas, apresentar promoções, ações de interação e captação de emails. Algumas são tão especiais que oferecerem vídeos e jogos para os fãs e acabam sendo um recurso muito bem aceito e que rendem muitos likes (novos fãs) para as marcas.
Para você inserir uma aba na sua página, o aplicativo mais usado é o Static HTML, que é bem simples e fácil de ser instalado.
Mas aviso que você precisará de uma pessoa que entenda de HTML para criar um código para deixe a aba funcionando de acordo com seus objetivos.

Twitter, Youtube e Blog no Facebook

Os perfis no Facebook até oferecem uma sincronização com o Twitter de forma básica e simples. Já as páginas de fãs, além de colocar abas para os mais diversos objetivos, oferecem ainda aplicativos bem completos e que atendem às necessidades para twitteryoutubeblog e várias outras redes sociais.


Anúncios no Facebook (Facebook Ads)
Com uma fan page, é possível criar quantos anúncios pagos, para campanhas diferentes, segmentá-las, especificar qual público vai recebê-las e mais um monte de vantagem que acabam alavancando a popularidade, visualizações e engajamento com a sua marca.
Por padrão, você precisará de um cartão internacional para o Facebook cobrar o valor investido na publicidade no facebookA dica é usar o Paypal (configurado com a idioma em português) para que o pagamento seja feito em reais (dessa forma, não seria necessário pagar também o IOF).

Estatísticas no Facebook – Facebook Insights

Você já viu quantas pessoas visualizaram determinada foto que você postou no seu perfil no Facebook? Não?
E nem vai.
É que os perfis no Facebook não oferecem um recurso chamado Facebook Insights, já as páginas sim.
Este é um dos recursos mais usados por agências de marketing digital e empresas para saber se os números de curtir, de visualização, de alcance da página estão aumentando ou caindo.
Facebook Insights é um dos principais parâmetros que traçam os rumos dos planejamentos de Marketing para empresas no Facebook.


Enviar mensagem para todos os fãs no Facebook

Usando um perfil, você pode enviar mensagens para 20 amigos no máximo, via inbox. Com isso, seria um processo muito trabalhoso separar em blocos e enviar uma mensagem para toda a sua base de contatos de uma vez.
Usando uma página de fãs, não existe limite. Você pode enviar uma mensagem para todos os fãs de uma vez só. Legal né?!

Por fim …

Se você não quiser correr o risco de receber uma mensagem punitiva como a abaixo, saiba que é possível migrar um perfil para página no facebook.
exclusao de páginas facebook marketing



É isso, está claro. para um marca, negócio, empresa e ou afim. Usar Fanpage e não perfil.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Entenda os tipos de website.


Atualmente, existem vários tipos diferentes de sites, e conhece-los vai ajudar você a identificar o que é bom para a sua empresa. Por isso, antes de criar ou reformar o site da sua marca, é extremamente importante entender qual tipo de site irá representar melhor o seu negócio.

Site Institucional

O site institucional é o mais usado pela maioria das empresas. Ele é composto, basicamente, por algumas páginas de informações sobre o negócio, serviços e produtos, preços, e formas de contato. Esse tipo de site é praticamente um cartão de visitas online.
Sites assim são bons para as empresas que querem ter a sua presença conhecida na internet, mas não têm muitas páginas para publicar ou muito o que falar. É em geral o site mais em conta para se produzir, mas tem pouca visibilidade nas buscas. É ideal para apenas apresentar sua empresa de forma profissional na internet para os seus clientes (pessoas que já conheceram sua empresa por outra forma, como por exemplo um cartão de visitas trocado ou indicação de alguém) mas é fraco para captar novos clientes nos sites de busca. Apostar nesse formato muitas vezes é desperdiçar todo o potencial que a internet pode oferecer em termos de Marketing Digital, e no sentido de aumentar a presença online de uma empresa. Trazer pessoas novas para seu site neste formato de site praticamente só é possível através de investimento em anúncios.

Site dinâmico

Em contraste com o site Institucional, como o próprio nome diz, este tipo oferece mais dinamismo e permite que alterações sejam feitas de maneira mais fácil. O conteúdo pode ser constantemente atualizado, fazendo com o que o site permaneça renovado.
Nos sites dinâmicos, além do conteúdo institucional, há a incorporação de um blog, o que dá a oportunidade para que a empresa possa investir em Marketing de Conteúdo e em Otimização para Buscadores (SEO) – duas ferramentas essenciais para atrair clientes em potencial no meio online, além de fortalecer a relação com a audiência, e atrair e nutrir os leads.
E por serem de fácil atualização e adaptação, sites dinâmicos costumam ser integrados às redes sociais, possibilitando a troca de conteúdo entre mídias – você pode postar vídeos, imagens, infográficos de outras mídias em seu site com rapidez e facilidade.

eCommerce

Também chamados de sites de comércio eletrônico, por meio de eCommerce é que é possível vender ou comprar um produto; ou contratar um serviço diretamente do computador. Um site de e-commerce é excelente para comerciantes e lojistas que pretendem expandir seus negócios, exibindo suas vitrines também no ambiente online. Eles são construídos com sistemas de verificação que permitem que o consumidor encomende diretamente da loja online, com rapidez e de forma bastante segura e intuitiva. Entretanto vale destacar que manter um eCommerce requer tempo para atualização constante da loja (incluir produtos, alterar preços, cadastrar dimensões e peso do produto para cálculo de frete, etc).

Site one-page

O que define um site one-page é que toda a informação é carregada em uma única página, à medida que o usuário percorre o conteúdo. A principal vantagem desse tipo de site é que ele funciona bem em aplicativos mobile, porque costuma levar menos tempo para carregar. Por serem bastante intuitivos, eles também são ideais para empresas que visam atingir o público mais jovem e ocupado. Ao clicar em qualquer link do menu, o site apenas rola automaticamente até a respectiva seção, não precisando carregar uma nova página.

Blogs

Os Blogs podem ser adicionais em um site dinâmico (como visto no item 2) ou o próprio site em sí. Em geral, blogs são sites pensados em leitores fiéis, que entram todos os dias para conferir as novidades. Eles devem sempre atacar um público-alvo e dependem completamente de seu sucesso para poder gerar alguma receita. Em geral os blogs são potenciais ferramentas de divulgação e marketing, pois conseguem convencer os clientes de forma mais sutil (com dicas, por exemplo) ao invés de um anúncio direto. O blog deve sempre se conectar com redes sociais e incentivar a navegação horizontal (fazer com que o leitor vá pulando de artigo em artigo, permanecendo o máximo de tempo online). Muitas empresas utilizam blogs para manter um relacionamento com seus consumidores de forma mais informal e criar um vínculo com eles.

Portais

Portais basicamente são agregadores de conteúdo diverso. Geralmente, eles são construídos com todo foco voltado ao interesse do público, para que este volte a visitá-lo diariamente. É comum, por exemplo, que juntamente com seu conteúdo, os portais ofereçam diretórios para outros sites, buscadores, notícias, previsão do tempo, citações, mapas, salas de bate-papo, fóruns, e etc.
Esse tipo de site é ideal para empresas que vendem “informação”, e visam o retorno do consumidor para que este consuma o seu “produto”. Basta lembrar de sites como G1, Yahoo e etc.


Sites midiáticos

Um site midiático é um site informativo e com atualizações frequentes. Diferente do site institucional, o site midiático é mais dinâmico e conta com uma maior interação dos leitores.
Nessa categoria se encaixam os sites de jornais e revistas e agências de notícias que utilizam a Internet para veicular notícias por meio de sites.

Compras Coletivas

Sites de compras coletivas são relativamente novos. Trata-se de um site que engloba superpromoções oferecidas por empresários e vendedores de forma a atrair mais clientes.
Exemplos de sites de compras coletivas são: Groupon e Peixe Urbano.

Mecanismos de busca

Os Mecanismos de busca, ou Buscadores como são mais conhecidos, são sites que permitem que pessoas encontrem sites ou informações de uma forma mais fácil na Internet, com pesquisas que são feitas em um banco de dados.
Exemplos de buscadores são: GoogleYahoo e Bing.

Diretório de sites

Os diretórios de sites são sites que cadastram a URL de diversos sites que são organizados por categorias. A deia deste tipo de serviço é oferecer uma forma simples de as pessoas encontrarem novos sites de acordo com seus gostos.

Redes Sociais e de Relacionamentos

Uma rede social é uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns. Fonte: Wikipedia
Exemplo de Redes sociais são: Facebook.

Wikis

Trata-se de um sistema colaborativo que permite a criação fácil de página e  a edição colectiva dos documentos usando um sistema que pode ser escrito por qualquer pessoa e não necessita que o conteúdo tenha que ser revisto antes da sua publicação.
Exemplo de Wiki: Wikipedia

Fóruns de Discussão

Trata-se de um site onde os membros interagem uns com os outros, deixando e respondendo dúvidas ou criando debates sobre um assunto específico. Eles são divididos em assuntos e em tópicos e as mensagens ficam organizadas por data de atualização e normalmente os fóruns de discussão contam com um ou mais moderadores que tratam de manter a ordem entre os membros.
Exemplos de fóruns de discussão são: Portal XBOXWebmaster Online e Script Brasil.

Hotsite
Também conhecido como teaser, o hotsite é um mini-site criado com data marcada para sair do ar. Os hotsites mantem foco em um tema restrito e normalmente são criados para apoio promocional, como lançamento de produtos ou eventos.

Landing Page

Já as Landing Pages são páginas focadas em vendas ou em arrecadações de informações das pessoas que estão interessadas naquele produto ou serviço. Um dos principais diferenciais é que podem estar contidas dentro de um site e terem link para outras páginas. Ao procurarem por um serviço no Google, as pessoas vão clicar no seu link e vão cair dentro da página especifica para aquele serviço, que fica dentro do seu site.
Landing Pages são formas eficientes de apresentar em uma única página as informações mais importantes que se queira divulgar – e vender – o produto ou serviço anunciado. E quando utilizadas em conjunto com links patrocinados, aumentam significativamente a conversão de visitantes na página. O principal objetivo de uma landing Page é converter o acesso em uma ação.

Todos os tipos de sites podem variar em sites para desktop, sites em várias versões ou responsivos.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Hashtag (#): o que é, como funciona e como usar!



Hashtag é uma expressão bastante comum entre os usuários das redes sociais, na internet. Consiste de uma palavra-chave antecedida pelo símbolo #, conhecido popularmente no Brasil por "jogo da velha" ou "quadrado".  

As hashtags são utilizadas para categorizar os conteúdos publicados nas redes sociais, ou seja, cria uma interação dinâmica do conteúdo com os outros integrantes da rede social, que estão ou são interessados no respectivo assunto publicado.

A hashtag é transformada em um hiperlink, que também pode se indexado por motores de busca na internet, como o Google. Em outras palavras, o usuário poderá buscar por determinado assunto, através da procura pela respectiva hashtag na própria rede social ou em um site de buscas (Google).

Atualmente, as hashtags estão disponíveis em várias outras redes sociais, como o FacebookInstagramGoogle +Pinterest e Youtube. Não apenas como uma ferramenta para organizar os conteúdos publicados nas redes sociais, as hashtags transformaram-se em "armas publicitárias" entre as empresas e instituições que utilizam as redes sociais como meio de comunicação e marketing.



Como usar hashtags para marketing em cada rede social?

Além de hashtags referentes a acontecimentos ou datas importantes, e de hashtags criadas por diferentes empresas para fins de marketing, algumas hashtags também surgem com ideias dos usuários e tornam-se virais.
Sua empresa pode usar essas hashtags para entrar em uma conversa que reúne milhares de pessoas no mundo todo.
Cada rede social tem suas próprias hashtags virais. Alguns exemplos são:
  • #FF no Twitter – “Follow Friday”, algo como “Sexta-feira da seguida”, uma hashtag usada para recomendar aos seus seguidores um perfil que você acha interessante)
  • #instagood no Instagram – usada para indicar uma foto que ficou muito boa.

As hashtags virais muitas vezes não passam de uma rede social para a outra. Não faria muito sentido usar #instagood em um tweet, por exemplo.
Você também já viu, no item anterior, que existem importantes diferenças entre o modo como as pessoas se apropriaram das hashtags em redes sociais diferentes. Nós destacamos que em algumas redes sociais elas são mais usadas do que em outras.
Além dessas diferenças, também existem questões práticas que mudam de acordo com o canal. Em outras palavras, o passo a passo para usar uma hashtag e as funções disponíveis também mudam ligeiramente conforme a rede social.

Twitter

Para publicar uma hashtag no Twitter, basta incluí-la em um tweet publicado a partir de uma conta pública. Tenha em mente que, se a conta não for pública, outras pessoas não poderão visualizar seu tweet ao pesquisar pela hashtag.
Uma coisa bem única das hashtags no Twitter é a possibilidade de utilizá-las para criar sessões de perguntas e respostas sobre um determinado assunto. E
ssas sessões são chamadas de Twitter Chats, e podem ser uma grande oportunidade para realizar networking com pessoas interessadas em certos assuntos.
Sua empresa pode participar de um Twitter Chat acompanhando a agenda divulgada. Também é possível submeter seu próprio assunto e atender possíveis parceiros e clientes em uma sessão de Q&A personalizada.
Depois de publicar sua hashtag por meio de um tweet, você precisará acompanhar o que as pessoas estão dizendo com essa hashtag.
Você pode fazer isso através de uma busca simples no campo indicado com a lupa, no canto superior direito da tela – afinal, você já sabe exatamente o que está procurando. Não é preciso usar o sinal de cerquilha para essa busca, mas você deve escrever a hashtag da forma correta.
Com a busca avançada, você ainda consegue direcionar mais os resultados que deseja. É possível limitar a busca por data ou localização, por exemplo, ou até mesmo procurar tweets positivos ou negativos com a hashtag. Isso é feito com base no uso de emoticons alegres ou tristes – 🙂 ou 🙁 .
Os resultados da sua pesquisa podem ser exibidos de algumas formas diferentes. São cinco formas principais de exibição: Top, Live, Accounts, Photos e Videos. Cada uma delas tem sua própria característica.
O modo de exibição Top apresenta primeiro os tweets que tiveram maior engajamento – como retweets e respostas.
O modo Live apresenta os tweets em ordem cronológica, e é atualizado em tempo real conforme eles são publicados.
O modo Accounts apresenta apenas tweets de certas contas oficiais de fontes de notícias, como jornais.
Como você pode imaginar, é claro, os modos Photos e Videos apresentam apenas tweets que, junto com a hashtag, trazem também fotos e vídeos.
No Twitter, as hashtags mais usadas entram em um ranking, chamado de Trending Topics – ou seja, tópicos “da moda”. Grandes campanhas de marketing podem colocar uma hashtag temporariamente nos Trending Topics de certa região.

Facebook

No Twitter, era preciso publicar a hashtag a partir de uma conta pública. No Facebook, pela mesma lógica, é preciso que o post contendo a hashtag seja público. Do contrário, ele não poderá ser indexado nas buscas.
É possível controlar essa definição a partir da própria caixinha em que o post é escrito, usando o botão azul no canto inferior esquerdo.
No Facebook, é ainda mais fácil buscar pelos resultados usando uma determinada hashtag. Depois que você publica uma atualização de perfil, a hashtag do post torna-se automaticamente um link para a página que reúne estes resultados.
Portanto, basta clicar no seu próprio post para encontrar o que outras pessoas estão dizendo com aquela hashtag.
Além disso, você também pode procurar resultados com uma hashtag usando o campo de busca ou através da URL www.facebook.com/hashtag/SuaHashtagAqui.
Com exceção de alguns países, o Facebook não lista as hashtags mais usadas. Por isso, você não consegue saber quais são os tópicos mais comentados.
Embora o Facebook seja uma rede social em que o uso de hashtags ainda não é tão forte, ele tem mais opções de visualização para os resultados de uma busca por hashtags.
Ele traz as opções Top, Latest (que corresponde a Live), Photos e Videos, que correspondem ao que já vimos no Twitter.
Mas, além dessas, você também pode visualizar os resultados nos modos Pages, People, Places, Groups, Apps e Events. Eles listam, respectivamente, páginas, pessoas, lugares, grupos e eventos que estão usando a hashtag.
O que esses modos tem em comum é que todos os resultados apresentados estão oficialmente ligados à hashtag que você buscou.

Instagram

No Instagram, para usar uma hashtag, é preciso incluí-la em um post feito a partir de uma conta pública. Uma diferença interessante em relação ao Twitter e Facebook é que, quando você começa a digitar uma hashtag no seu post, ao inserir o símbolo da cerquilha, o Instagram imediatamente começa a sugerir hashtags baseado na popularidade.
Para pesquisar os resultados com a sua hashtag, você precisa digitá-la no campo de busca e clicar na opção Tags. Você também pode ver as hashtags mais usadas clicando na opção Explore, representada pela lupa, na parte de baixo da tela.
Você logo vai notar que, no Instagram, as hashtags são bem mais gerais do que no Twitter. Elas se referem mais às fotos em si, como é o caso da hashtag #nofilter, que indica uma foto sem filtro.
Enquanto isso, as hashtags do Twitter tendem a ser mais relacionadas a temas do momento.

Dicas básicas para usar hashtag
É importante falar sobre algumas dicas que podem ajudar muito para que as suas hashtags tenham sucesso.

Não coloque todo o conteúdo em uma hastag

se você quer saber o que as pessoas estão achando sobre o filme, utilize a hashtag com o nome dele, e não #OQueAsPessoasEstãoAchandoSobreOFilme, pois isso irá restringir muito a pesquisa, diminuindo o volume de conteúdo encontrado.

Não use uma hashtag pra cada palavra

Esta dica é oposta à anterior. Se você adicionar as hashtags #o #que #as #pessoas #estão#achando #sobre #o #filme, você irá adicionar o seu conteúdo em diversos grupos de pesquisa, não necessariamente no que você planejava inicialmente.

Use uma hashtag que esteja de acordo com o tema do post

usar alguma hashtag só porque ela está sendo altamente pesquisada mas sem falar sobre o assunto da hashtag vai ser pouco eficaz para a disseminação do conteúdo.

Confira a ortografia

um erro simples de ortografia (ou até mesmo de digitação) pode fazer com que a hashtag seja um fracasso, pois é muito pequena a chance de que várias pessoas cometam o mesmo erro no momento de criar a hashtag.



Fonte deste conteúdo:
https://marketingdeconteudo.com/o-que-e-hashtag/